Monthly Archives: October 2012

Love’s Pain

Standard

Implacável o aperto em meu peito explode

Languida sensação da perda escorregadia entre os dedos.

O coração pacato de outrora

Em si, irrigado pela paixão que aflora.

Tão singelo, na inocência do sentir-se vivo

Pulsa amor vertendo os versos do desejo

Ao ser que lhe aquece o espirito só.

Abro minhas defesas

Deixo-me inteira entre os braços

E a boca que sacia a inquietude desta alma andante.

Entretanto, na selvagem pradaria deste muito sem desterro

Mesmo o amor em seu mais puro desabrochar

Precisa do cuidado para não decantar..

E enquanto a aurora clareia a escura solidão

Fito o horizonte na busca do simples oi.

Advertisements