Another Winter

Standard

Outra canção acaba de começar

Exatamente na sequencia que se encerra neste instante.

Alguns loopings, aliterações e onomatopeias persistem

entre borralhos e fuligens das queimadas deste tempo.

Fecho as pálpebras inundadas da dor doce

Desse amargo infinito que fita a fronte..

o rubro céu da boca carcome das flores

que perfumam este caminho que nunca finda

serpenteio abismos, desertos e lugares ermos

numa busca de um porto atracar.

Frio, chuva, calor ou sequidão

nada aplaca a fúria deste coração

Ao alvo colo resta um aperto

que a serenidade dos invernos faz compreender

Jamais é tarde para terminar qualquer história

e muito menos para começar a viver.

A garganta seca e a mão treme

calma… calma… é apenas outro inverno que chega..

os frutos germinam assim que o sol aquecer os galhos gélidos

a florada das árvores colorirá os confins dos mares estreitos

e os pássaros flutuaram com nossos pensamentos

levando as palavras.. danadas fadas do que desejemos e não contamos

a onde a melodia do tempo possa apaziguar

os viajantes de todas as estradas.

 

mais um ano. Valeu muito. #birthday

 

 

Advertisements

One response »

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s