Daily Archives: May 28, 2010

PRETO

Standard

Hoje as lágrimas de um filho

Molharam a terra arenosa deste vale.

No colo um buraco

Negro e profundo

Onde o vazio sentimento

Prostrado na porta se encontra.

Perdão, doce e ácido fazer….

Sulfuricamente;

A inquietante sensação de nulidade

Aquece a piedade do sentir-se

Tolo.

Não existe reação desta ação

Apenas;

A dor languinar deste bestiário

De almas perdidas e sujas.

Paz, pacificar o desconsolo

Deste, ser que,

Agora; errante, blasfema

Sua agonizante dor desta ferida

Que pulsa, opulentamente

Em seu peito desprevenido.

Não existe um porquê.

Apenas, revolta, mundana, revolta.

Sente-se aqui

Feche seus olhos

Tente escutar seu coração

Que mesmo em frangalhos

Permite o perdão.

O sol aparece neste desterro voraz

E eu ,

Meu amigo;

A ti estendo minhas preces

Meu sofrer e minha dor

Para que, menos cinza;

Possa ser o seu olhar.

Advertisements